Grupo HOBANNER 001

Brasil vai à final do Mundial de ginástica após 11 anos

Por J.Lima em 29/10/2018 às 02:56:03

Fornecido por Gazeta Esportiva

Neste domingo (28), a seleção feminina de ginástica realizou as suas primeiras apresentações no Mundial da categoria, disputado em Doha, no Catar, e teve um grande desempenho. O Time Brasil conseguiu a quinta colocação do geral, com 162,529 pontos, garantindo assim a vaga na final pela primeira vez desde 2007.

A primeira colocação ficou com os Estados Unidos, com 174,429 pontos, seguidos por Rússia (165,497), China (165,196), e Canadá (163,897). Além disso, Flavia Saraiva e Jade Barbosa se garantiram na final do individual geral, enquanto Flavinha, quinta colocada no solo, garantiu também um lugar na final do aparelho.

Salto

O Brasil já começou muito bem no salto, o aparelho preferido das atletas brasileiras. Jade Barbosa, Flavinha e Rebeca, com muita precisão, apresentaram o mesmo salto, e cravaram 14,500, 14,466 e 14,566, respectivamente. Com um total de 43,532 pontos, o Brasil só ficou atrás dos Estados Unidos.

Barras assimétricas

Nas barras assimétricas, aparelho considerado um dos pontos fracos para o Brasil, o único susto ficou por conta do passo largo dado por Lorrane na saída (13,166). Sem grandes falhas, Jade fez 13,333, e os 12,400 de Flavinha foram descartados para o somatório, pois ainda havia Rebeca, que cravou 14,333.

Trave

A trave foi um dos destaques do Brasil nas Olimpíadas do Rio, em 2016, mas desta vez, a situação foi bem diferente. Lorrane começou com desequilíbrios leves e deu um passo pequeno na saída, ficando com 12,066. Jade começou bem, mas ficou com 11,700 após uma queda, assim como Rebeca, com 12,633. Pressionada, Flavinha também não teve um desempenho muito positivo, e ficou com 13,233.

Solo

Para não deixar a vaga na final escapar, a esperança das brasileiras era o solo. Com alguns pequenos problemas na aterrissagem, Lorrane ficou com 13,033, e Jade, com uma boa execução, conseguiu 13,200. Flavinha, com uma série quase cravada, deu show e marcou 13,200. Thaís, por sua vez, pisou fora do tablado na primeira acrobacia e com 13,133, perdeu a chance de disputar a final.

Fonte: Gazeta Esportiva

banner aabb
campeonato empresarial